quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Libertar se

Queria eu falar de algo novo,
dividir alegrias das quais me desprendi,
falar de sentimentos que nunca tive,
de sonhos que nunca foram meus,
esquecer das noites em claro,
dos dias em que nem um raio de luz vi;
queria a alma livre para voar ao infinito,
assim como o vento,
que não deixa de existir,
apenas não permanece no mesmo lugar;
desprender-me do corpo,
alcançar as nuvens
e lá sentir a brisa da verdadeira liberdade;
no silêncio da eternidade,
ouvir acordes da paz,
fechar os olhos para a humanidade,
de encontro com a verdade,
compreender o sentido da vida,
e nunca mais deixar de sorrir.

1 comentários:

Mario Sergio disse...

Perfeito!

Postar um comentário