quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Visgo da Vida


Algo que me mantém,
é o desejo de liberdade.
Preso em minha alma,
o qual me faz forte,
e ao mesmo tempo,
se minha maior fraqueza.
Por este luto,
esbravejo,
pelo mesmo padeço,
com a incerteza que me cerca,
não conquista-lo.
Muito de mim já matei,
outro tanto, morreu por si só,
Quem sabe matando este desejo,
alcança se a paz,
e seguiria...
Mas talvez, o matando estaria morrendo,
sendo que e por este, e só este,
que me ergo,
Talvez a liberdade não exista aqui na terra,
talvez seja algo tão divino,
que só se alcance em outros planos.
Talvez seja algo tão almejado,
que não passe de utopia para nos,
meros seres humanos.
Talvez, a liberdade seja apenas o visgo da vida,
ate porque sabe se tanto da vida,
quanto desta tal liberdade...

1 comentários:

Mario Sergio disse...

Forte e bem encadeado. Ficou muito foda. Parabéns, dona Pérola.

Postar um comentário